Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00. Aos fins de semana encerra entre as 13h00 e as 14h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

O Museu de Alberto Sampaio e a sua Associação de Amiguinhos vão retomar os cursos presenciais, depois de nos últimos meses terem realizado várias formações online devido à pandemia. A próxima formação tem como tema o Património Musical Vimaranense e estará a cargo do musicólogo Eduardo Magalhães.

Destinado a um público indiferenciado, o curso foi pensado para quem goste de música e queira adquirir alguma informação sobre o património musical existente nas instituições vimaranenses, nomeadamente os livros de cantochão, uma das formas mais antigas de canto litúrgico. Será também explorada a iconografia musical presente nas coleções de dois dos mais relevantes espaços museológicos da cidade: o Museu de Alberto Sampaio e o Paço dos Duques de Bragança.

As sessões decorrerão entre 21 de abril e 19 de maio, uma vez por semana, às quintas-feiras, entre as 18h00 e as 19h30. A participação tem um custo de 75 euros e as inscrições devem ser efetuadas através do e-mail masampaio.celiapontes@culturanorte.gov.pt ou na receção do Museu.

 

PROGRAMA

1ª Sessão – 21 de abril

– O Património Musical Vimaranense na sua diversidade e instituições que o guardam

– O conceito de Música na História

2ª Sessão – 28 de abril

– A Música e a Religião

– A importância da Música nos ritos cultuais da Religião Cristã (percurso histórico resumido)

3ª Sessão – 05 de maio

Os Livros de Cantochão

– Contexto histórico dos livros de Guimarães

– Especificidade

4ª Sessão – 12 de maio

Iconografia Musical no Paço dos Duques de Bragança

5ª Sessão – 19 de maio

Iconografia Musical no Museu de Alberto Sampaio: conceito e contextos

 

Eduardo Amândio Rodrigues Magalhães

É Licenciado em Educação Musical pela Universidade do Minho e Mestre em Ciências Históricas Musicais pela Faculdade de Letras de Coimbra com uma dissertação sobre Livros Medievais (de coro) do Museu Alberto Sampaio (2001). Tem em preparação a tese de doutoramento.

Foi, durante vários anos, formador de professores, na área da pedagogia musical e na área vocal.

Foi o responsável pela organização e catalogação do património musical inserido no Portal «Musicave» (musicave.org), um repositório online de vários acervos musicais de instituições vimaranenses. É co-autor do Passionário Polifónico de Guimarães, uma edição fac-similada publicada pela Sociedade Martins Sarmento, e autor de Hinos e Marchas Históricas de Guimarães, publicado pela Sociedade Musical de Guimarães, ambas patrocinadas pela Fundação Cidade Guimarães (CEC-2012).

Como musicólogo, continua a inventariar e a estudar os espólios musicais da Sociedade Musical, da Sociedade Martins Sarmento, do Arquivo da Colegiada de Guimarães e do Arquivo Municipal Alfredo Pimenta.