Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

Calvário

 

Calvário

Autor: Desconhecido

Data: Século XV

Material: Calcário policromado

Dimensões (cm): alt. 105 x larg. 55 x prof. 22

Proveniência: Desconhecida

Proprietário: Lisboa, Museu Nacional de Arte Antiga, Coleção Comandante Ernesto Vilhena

N.º de Inventário: MAS ED 67

Placa retangular coroada por arco conopial, com a representação de Cristo crucificado, ladeado por São João Evangelista aureolado, com a mão direita encostada ao rosto, e pela Virgem, também aureolada, trajando uma túnica e um manto que lhe cobre a cabeça. Nos cantos superiores, estão representados o Sol e a Lua.

O tema do Calvário é referido por todos os evangelistas – São Mateus, São Marcos, São Lucas e São João – e foi representado artisticamente ao longo dos séculos.

O Evangelho de São João relata a Crucificação de Jesus da seguinte maneira: “Jesus, levando a cruz às costas, saiu para o chamado Lugar da Caveira, que em hebraico se diz Gólgota, onde o crucificaram, e com Ele outros dois, um de cada lado ficando Jesus no meio. Pilatos redigiu um letreiro e mandou pô-lo sobre a cruz. Dizia ‘Jesus Nazareno, Rei dos Judeus.’” (Jo 19: 17 – 19)

“[…] Junto à cruz de Jesus estavam, de pé, sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria, a mulher de Clopas, e Maria Madalena. Então, Jesus, ao ver ali ao pé a sua mãe e o discípulo que Ele amava, disse à mãe: ‘Mulher, eis o teu filho!’ Depois, disse ao discípulo: ‘Eis a tua mãe!’ E, desde aquela hora, o discípulo acolheu-a como sua.” (Jo 19: 25 – 27)

Tendo por base os relatos bíblicos, esta representação do Calvário organiza-se em torno da figura de Cristo crucificado, registando-se a presença de Maria e de João Evangelista, bem como a representação do letreiro com as iniciais INRI mandado colocar na cruz por Pilatos.