Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

Jessé

 

Jacente de Jessé

Autor: Mestre João Garcia de Toledo (atribuída a)

Data: Século XIV – XV

Material: Calcário com vestígios de policromia

Dimensões (cm): alt. 53,5 x larg. 273 x prof. 69

Inscrição: EIUS A(s) CENDET.ET.REQUIE

Proveniência: Guimarães, Igreja de Nossa Senhora da Oliveira

Proprietário: Guimarães, Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira

N.º de Inventário: MAS ED 27

Escultura gótica representando Jessé, o pai do rei David, base da árvore simbólica da genealogia da Virgem e de Cristo. Em dois enormes blocos de calcário, que totalizam mais de dois metros de comprimento, esculpiu-se a imagem de Jessé adormecido, com longas barbas e a mão esquerda apoiando a face, com túnica comprida drapeada sob as mangas, de cujo ventre brotava, outrora, a árvore simbólica com a genealogia da Virgem e de Cristo. A inscrição latina que corre no suporte da figura, com os versículos 1 e 2 do Capítulo XI de Isaías, confirma a identificação da escultura: “E sairá uma vara do trono de Jessé e brotará uma flor das suas raízes. E descansará sobre ele o espírito do Senhor”. Da mesma forma, a iconografia remanescente das arquivoltas do janelão, com a Anunciação e um conjunto de profetas, é habitual no enquadramento da representação plástica do célebre verso de Isaías.

Esta escultura é proveniente do grande janelão da fachada ocidental da Igreja de Nossa Senhora da Oliveira e encontrar-se-ia implantada na face interna do mesmo. A originalidade da sua implantação constitui exemplo único na arquitetura portuguesa, assim como em toda a arte medieval portuguesa onde este tema iconográfico, apesar de não ter sido ignorado, não voltou a ser tratado em escultura. Integrado na campanha de renovação iniciada na última década do século XIV, ordenada por Dom João I, com as obras do século XVIII, como referido por Mário Barroca, esta monumental árvore de Jessé foi demolida, tendo apenas sobrevivido parte da estátua de Jessé.

 

 

Árvore de Jessé (fragmento)

Autor: Mestre João Garcia de Toledo (atribuída a)

Data: Século XIV – XV

Material: Granito

Dimensões (cm): alt. 33 x larg. 20 x prof. 9

Proveniência: Guimarães, Igreja de Nossa Senhora da Oliveira

N.º de Inventário: MAS L 51

Trata-se possivelmente de um fragmento de um ramo, que faria parte da árvore de Jessé existente no portal ocidental da igreja da Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira. A figura de Jessé (MAS ED 27), que também se encontra exposta no museu, é, no entanto, de calcário enquanto neste fragmento se usa o granito.

A implantação desta árvore de Jessé na face interna do janelão da igreja constitui uma originalidade, que é exemplo único na arquitetura portuguesa, assim como em toda a arte medieval portuguesa onde este tema iconográfico, apesar de não ter sido ignorado, não voltou a ser tratado em escultura. Integrada na campanha de renovação iniciada na última década do século XIV, ordenada por Dom João I, com as obras do século XVIII, como referido por Mário Barroca, esta monumental árvore de Jessé foi demolida, tendo apenas sobrevivido parte da estátua de Jessé.