Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

Cofre-relicário

 

Cofre-relicário

Autor: Desconhecido

Data: Século XIII – XIV

Material: Prata dourada

Dimensões (cm): alt. 9,5 x comp. 19,5 x prof. 10

Proveniência: Guimarães, Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira

N.º de Inventário: MAS O 37

Classificado como Tesouro Nacional, este cofre-relicário em prata relevada e em punção, tem base retangular com tampa de quatro faces. A urna apresenta um friso perlado e toda a decoração faz, do ponto de vista iconográfico, a apologia do culto a Nossa Senhora que é representada como mãe de Jesus Cristo, tanto acompanhada com o Menino, como chorando no Calvário e mesmo em Majestade, já como Rainha do Céu.

Servindo inicialmente como relicário, levado nas procissões dentro e fora da igreja, o cofre guardou, entre 1662 e 1664, a relíquia de São Torcato e acabou por funcionar como urna eucarística nas cerimónias do enterro do Senhor a partir da segunda metade de seiscentos.

Era costume medieval guardar as relíquias em cofres fechados. A partir do Concílio de Trento (1545 – 1563) passaram a ser expostas ao olhar dos fiéis, normalmente protegidas por estruturas envidraçadas.