Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

Espevitador ou Tesoura de morrões com bandeja

 

Espevitador ou Tesoura de morrões com bandeja

Autor: Joaquim José Palhares

Data: 1851 – 1869

Material: Prata branca

Dimensões (cm): Bandeja: alt. 2,5 x larg. 24,7 x prof. 11,6 | Tesoura: alt. 4 x larg. 16,5 x prof. 5,4

Proveniência: Desconhecida

N.º de Inventário: MAS O 193 (2/2)

Tesoura com depósito para pavios decorado num dos lados com motivos florais relevado. Possui hastes recortadas e moldadas com motivos florais e pegas circulares. A parte inferior é lisa e possui três pés para suporte.

A bandeja apresenta forma quase retangular, com os lados maiores decorados no bordo com motivo encordoado e os lados menores com motivos fitomórficos e florais relevados. O fundo é liso e decorado com cartela de moldura encordoada e com motivos fitomórficos e uma flor no centro. Possui quatro pés em forma de garra.

As tesouras de morrões, ou espevitadeiras, desempenhavam uma função complementar em relação às peças de iluminação com pavio, a que cortavam as pontas carbonizadas (morrões). Estas tesouras comportam uma pequena caixa para guardar as pontas queimadas e, tal como esta, geralmente possuem três pés que assentam numa bandeja.