Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

Calvário

 

Calvário

Autor: Desconhecido

Data: ca. 1560

Material: Óleo sobre madeira de castanho

Dimensões (cm): alt. 162,5 x larg. 142

Proveniência: Guimarães, Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Proprietário: Guimarães, Venerável Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo

N.º de Inventário: MAS PD 14

Esta pintura organiza-se em torno da figura de Cristo crucificado e segue os princípios da simetria: de ambos os lados de Cristo representa-se o mesmo número de anjos, em posições muito idênticas, que recebem o sangue das suas chagas. Também a distribuição das sete espadas e a forma de dispor os volumes rochosos do fundo testemunham a mesma simetria.

À direita de Cristo encontra-se a Mater Dolorosa e, do outro, em posição idêntica, São João Batista. A Virgem Maria aparece com o coração trespassado por sete espadas, representação conhecida como a Virgem das Dores, uma alusão à dor e sofrimento pela morte do Seu Filho.

São, de acordo com Dalila Rodrigues, soluções compositivas pouco criativas e caraterizadas até por certa ingenuidade, destacando-se as incorreções anatómicas dos anjos esvoaçantes bem como a incongruência presente na sobreposição das rochas e do túmulo ao fundo. Aponta, assim, o periferismo artístico da oficina criadora desta pintura.

O Calvário é um dos episódios da vida de Cristo referido por todos os evangelistas, sendo também um dos temas frequentemente explorado artisticamente.