Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

São Tomás

 

São Tomás

Autor: Desconhecido

Data: Século XVI

Material: Calcário policromado

Dimensões (cm): alt. 53 x larg. 21 x prof. 15

Proveniência: Desconhecida

N.º de Inventário: MAS E 158

Escultura de São Tomás que, apesar de ter pertencido a uma ordem mendicante, a Ordem dos Pregadores ou dos Dominicanos, surge envergando vestes ricamente decoradas. Apresenta tonsura e tem como único atributo um livro fechado numa das mãos, numa provável alusão à sua equiparação a Doutor da Igreja.

São Tomás de Aquino, designado como o mais sábio dos santos e o mais santo dos sábios, nasceu no seio de uma família nobre (filho do Conde de Aquino) em 1225 no castelo de Roccasecca, em Nápoles, Itália.

Estudou na Universidade de Nápoles, fundada por Frederico II, onde entrou em contacto com a ordem dos frades pregadores fundada por São Domingos de Gusmão e decidiu seguir a vida religiosa. Contra a vontade do pai, Tomás entrou para a ordem dos dominicanos e mudou-se para Paris, onde frequentou a Universidade de Teologia, tendo sido aluno de São Alberto Magno, que se impressionou com a sua inteligência. Completou os seus estudos em Colónia e regressou a Paris, onde em 1256, se tornou professor de filosofia e teologia. Foi apelidado de “boi mudo”, pela sua timidez e humildade.

Morreu em março de 1274, na abadia cisterciense de Fossanova, quando, a pedido do papa, se dirigia ao Concílio de Leão.

Conjugou o cristianismo com a visão aristotélica do mundo, para conferir à doutrina cristã uma base científica, filosófica e teológica.

É considerada uma das maiores figuras intelectuais da Igreja. A sua obra-prima – Summa Theologica – valeu-lhe o título de Doutor Angélico, Príncipe das Escolas, Luz da Igreja. Os dominicanos consideram-no o quinto Doutor da Igreja latina.