Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

São Roque

 

São Roque

Autor: Desconhecido

Data: Século XVIII

Material: Madeira dourada e policromada

Dimensões (cm): alt. 91 x larg. 38 x prof. 29

Proveniência: Guimarães, Capela de São Roque

N.º de Inventário: MAS E 63

Imagem de São Roque, vestido de peregrino, com bordão e cabaça, acompanhado por um cão que lhe lambe a ferida pestífera. É um dos santos protetores da peste.

De acordo com a lenda, Roque nasce em Montpellier (França), por volta de 1350, com uma pequena cruz no peito. Depois da morte dos seus pais, distribui toda a sua fortuna pelos pobres e pelos hospitais e torna-se peregrino, indo até Roma (Itália).

Quando chega a Acquapendente, na província de Viterbo (Itália), encontra a vila assolada pela peste. Reconforta os doentes e cura-os, desenhando sobre eles o sinal da cruz.

Ao regressar desta peregrinação, apanha a peste e, para não contagiar ninguém, isola-se numa floresta, onde é alimentado todos os dias por um cão que lhe leva um pão.

São Roque é o santo protetor das vítimas da peste. A divulgação do culto a este santo é tardia devido à grande devoção que existia a São Sebastião, também invocado contra a peste.

São Roque é um dos santos mais facilmente identificáveis. É geralmente representado em trajes de peregrino, por vezes com a vieira típica dos peregrinos de Compostela (Espanha), e com um longo bordão do qual pende uma cabaça. Apresenta um dos joelhos desnudado, sendo visível uma ferida que é tratada por um anjo e surge acompanhado pelo cão que o alimenta.

A sua festa celebra-se a 16 de agosto.