Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

Dois pares de brincos e um pendente, pertencentes à coleção do Museu

Depois das Artes Decorativas, a próxima formação online promovida pelo Museu de Alberto Sampaio e pela sua Associação de Amiguinhos é sobre “Iniciação à peritagem de joalharia em Portugal”. O curso realiza-se entre 15 de abril e 6 de maio e tem novamente como responsável o professor doutor Gonçalo de Vasconcelos e Sousa, catedrático da Escola das Artes da Universidade Católica do Porto.
O objetivo é analisar, em conjunto, a joalharia dos séculos XVIII a XX, na sua dimensão formal, técnica e de materiais. Através do recurso a imagens, vídeos e informações sobre centros produtores, serão fornecidos elementos que permitam iniciar o processo de datação e identificação dos objetos e os seus elementos característicos.
Uma das sessões do curso será dedicada, em exclusivo, à gemologia e estará a cargo de Rui Galopim de Carvalho, especialista na área e embaixador da CIBJO – The Wolrd Jewellery Confederation, em Portugal.
As sessões formativas terão lugar às quintas-feiras através de videoconferência. As inscrições já se encontram abertas e podem ser realizadas através do e-mail masampaio.celiapontes@culturanorte.gov.pt.

Sessões: 15, 22 e 29 de abril e 6 de maio de 2021 (quintas-feiras)
Horário: 18h30 – 19h30
Preço: 65,00 euros

 

PROGRAMA

Parte I
1. QUESTÕES INTRODUTÓRIAS
Conceito de peritagem
Conceito de joia: ourivesaria do ouro, joalharia, “joias de Autor”
Joalharia humana e joalharia devocional
Peritagem em joalharia: conceito e instrumentos de trabalho
Conceitos introdutórios ao estudo da joalharia
Joalharia e seus proprietários

2. TÉCNICAS DE TRABALHO DE OURIVESARIA

3. DESCRIÇÃO DE PEÇAS DE JOALHARIA

4. ALGUNS MATERIAIS EMPREGUES E A SUA LIGAÇÃO HISTÓRICA

5. CENTROS PRODUTORES

6. MARCAS: ENSAIADOR E CONTRASTARIA, OURIVES, CASA DE OURIVESARIA E POSSE

7. OS “AGENTES DA JOIA” E A DISTINTA LIGAÇÃO À PEÇA: DO COLECIONADOR AO ANTIQUÁRIO, DO MUSEÓLOGO AO ACADÉMICO, DO LEILOEIRO AO OURIVES; DO CONSERVADOR AO AVALIADOR.

8. CASAS DE COMÉRCIO DE OURIVESARIA EM PORTUGAL NOS SÉCULOS XIX E XX EM LISBOA E NO PORTO

9. IDENTIFICAÇÃO ESTÉTICA NA JOALHARIA PORTUGUESA
Estilo Renascença
Estilo Maneirista
Estilo Barroco
Estilo Rococó
Estilo Neoclássico
Estilo Naturalista
Revivalismos
Ecletismos
Arte Nova
Art Déco
Correntes pós Arte Nova
Joalharia pós 1950

Parte II
GEMOLOGIA (3.ª sessão)
1. Evolução dos estilos de lapidação no diamante (do talhe rosa ao talhe brilhante moderno)
2. Gemas brasileiras na joalharia portuguesa de finais de Setecentos e alvores de Oitocentos: diamantes e pedras de cor
3. Jade: uma gema pouco conhecida em Portugal

 

NOTA: Para validar a sua inscrição terá que efetuar o pagamento através de transferência bancária para o NIB 0036 0079 99100058 7461 9 – Montepio Geral. Após o pagamento, é importante o envio de comprovativo de transferência bancária e o seu Número de Identificação Fiscal para o envio do respetivo recibo.

Nas 24 horas prévias ao início da formação, os inscritos receberão um e-mail de confirmação que inclui o link de acesso à sessão.

Informação em PDF