Horário: De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Rua Alfredo Guimarães

4800-407 Guimarães

Custódia

 

Custódia

Autor: Desconhecido

Data: 1534

Material: Prata dourada

Dimensões (cm): alt. 78,8 x larg. 35,5

Inscrição: Esta custódia foi acabada na era de 1534

Proveniência: Guimarães, Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira

N.º de Inventário: MAS O 6

Classificada como Tesouro Nacional, esta custódia de prata dourada possui uma inscrição indicando que foi acabada em 1534. A base da custódia assenta sobre animais fantásticos em alternância com esferas presas por garras. No plano superior do pé, em posição horizontal, as figuras relevadas de Nossa Senhora com o Menino, de São João Batista, de Santa Isabel e de São Pedro lembram a família terrena de Cristo e aquele que foi a pedra basilar da sua Igreja.

O nó é um pequeno templo com arcarias entrelaçadas, abrigando duas estatuetas de santos sob baldaquinos. Rodeiam a caixa eucarística – local de exibição da hóstia consagrada – quatro anjos músicos, moldados com vestes à moda da Renascença, que nos remetem para a importância da música nas cerimónias religiosas da Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira. A meia altura dos contrafortes, estão representados os apóstolos, testemunhas da instituição do Sacramento Eucarístico na Última Ceia.

Nos inventários da Colegiada, é referida como a “custódia rica”, dada a sua qualidade de execução e riqueza ornamental, tendo sido uma doação do cónego Gonçalo Anes. Exprimindo a devoção pessoal do doador, que também mandou remodelar, à sua custa, a capela do Santíssimo Sacramento da Colegiada (1537 – 39), reflete igualmente a importância com que, desde a Idade Média, a festividade do Corpo de Deus era solenizada em Guimarães.